Histórico

A sede do Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental (PPBA) está localizada na cidade de Bragança, situada na zona costeira do nordeste do Pará. Considerada uma das cidades mais antigas do Estado, Bragança possui um relevante acervo histórico/cultural, ao mesmo tempo em que é reconhecida por sua importância econômica para o desenvolvimento da região. As principais bases da economia local são o turismo (terceira região costeira mais visitada do estado) e a pesca (terceira maior produção pesqueira do Pará), contudo a dinâmica costeira e o potencial dos seus recursos hídricos ainda são pouco conhecidos.

O litoral bragantino é um dos mais estudados da costa amazônica, em decorrência, principalmente, das pesquisas vinculadas ao Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental e, consequentemente, das cooperações estabelecidas entre os pesquisadores vinculados ao Programa e pesquisadores de outras instituições nacionais e internacionais. Entretanto, tem-se verificado a necessidade de ampliar estes conhecimentos para outros ecossistemas aquáticos e terrestres amazônicos, assim como de melhorar a capacitação de recursos humanos sobre estudos relacionados aos ecossistemas amazônicos. Mudanças nas áreas de concentração que entraram em efeito em 2015 estão ampliando o leque de possibilidades de pesquisa dentro do PPBA.

O Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas Costeiros, foi criado ao nível de Mestrado em 1999 e implementado em 2000, apresentando uma proposta de caráter multidisciplinar para formar recursos humanos capazes de desenvolver estudos sobre a dinâmica dos ecossistemas costeiros e suas formas de preservação e manejo, buscando a construção de uma visão integrada da problemática pertinente ao uso e degradação dos ecossistemas costeiros amazônicos e de seus recursos naturais. Por ser o único na Amazônia com um enfoque voltado para a área costeira, este Mestrado vem atraindo alunos de várias partes do estado, assim como de outras regiões do país.

O PPBA foi o primeiro Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Pará (UFPA), nos níveis de Mestrado e Doutorado, cuja sede fica fora da capital (Belém), o que demonstra a efetividade da expansão Multicampi adotada por esta instituição, servindo de modelo para outros Campi de interior que estão iniciando o processo de implantação de um programa de pós-graduação e que contribuirão ainda mais para formação e fixação de recursos humanos na região amazônica.

No ano de 2007, por meio da aprovação do curso no nível de Doutorado (Doutorado em Recursos Biológicos da Zona Costeira Amazônica), o Programa deu um importante passo no que concerne ao desenvolvimento de novos projetos de pesquisa, formação de recursos humanos e divulgação científica de seus resultados.  Até julho de 2015, o Programa contava com quase 50 alunos de Doutorado e 75 alunos de Mestrado. Em 2014, foram duas seleções de Doutorado, além do ingresso de vários doutorandos por meio de bolsas de projetos de docentes (ingresso total de 11 alunos) e uma de Mestrado (ingresso de 22 alunos). Assim, o PPBA vem satisfazendo a demanda instalada na região, bem como vem recebendo alunos de outros estados, o que propiciará a formação e a fixação de novos pós-graduados na região Norte do Brasil, onde ainda é insipiente o número de doutores atuantes, quando comparado ao existente em outras regiões do país. 

Ações para internacionalizar o PPBA têm sido realizadas. Em abril de 2014, o PPBA aderiu ao Programa de Alianzas para la Educación y la Capacitación de la OEA (PAEC) da Organização de Estados Americanos para receber alunos de outros países da América do Sul para cursar o Mestrado. Por outro lado, alunos do PPBA estão realizando estágios no exterior e, atualmente, pelo menos cinco alunos de Doutorado do PPBA tiveram a oportunidade de realizar parte das suas atividades no exterior por meio do programa CAPES e foram para diversos países: Portugal, Espanha, Canadá e Austrália.

Até dezembro de 2015, o PPBA gerou 253 dissertações e 22 teses. A maioria das dissertações e teses produzidas no PPBA é voltada para questões costeiras do nordeste paraense como foco central, mas sempre buscando a integração com ecossistemas vizinhos e correlacionados.

O impacto na formação de recursos humanos tem sido marcante. A grande maioria dos alunos egressos do curso de Mestrado faz Doutorado e/ou foi absorvida pelo mercado de trabalho, atuando no ensino médio e universitário em instituições de ensino da região amazônica (SEDUC, UFPA, UFRA, UEPA, IEFET, UFOPA, IFPA, entre outros) ou ainda, em outras instituições particulares ou públicas (ONGs, consultoria ambiental, SEBRAE, EMBRAPA, entre outros). Neste sentido, o curso está cumprindo com suas missões principais.

O PPBA conta com a participação de bolsistas pós-doc orientados por docentes do Programa. Em dezembro 2014, o PPBA adquiriu uma bolsa pós-doutorado que já foi implementada para desenvolver atividades de pesquisa e ensino no Campus de Bragança.

 

Objetivos

Os objetivos da proposta do Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental são: 

(i) Formar profissionais, em caráter multidisciplinar, capazes de desenvolver pesquisas integradas, voltadas para a compreensão da dinâmica dos ecossistemas amazônicos, tanto costeiros quanto continentais.

(ii) Catalogar e descrever as características socioambientais dos ecossistemas costeiros do norte do Brasil;

(iii) Compreender a dinâmica, estrutura e função dos ecossistemas costeiros, nos seus componentes bióticos, abióticos e socioeconômicos e as suas inter-relações;

(iv) Aprofundar os conhecimentos acerca da dinâmica dos recursos hídricos costeiros amazônicos, para que em um futuro próximo estes ambientes sejam utilizados de forma racional e sustentável;

(v) Identificar o impacto das atividades humanas ou dos processos naturais na paisagem e nas relações ecológicas de todos os que habitam estes ecossistemas;

(vi) Desenvolver metodologias com abordagens interdisciplinares para o tratamento de questões relacionadas ao desenvolvimento dos ecossistemas costeiros da região norte;

(vii) Propor medidas para o manejo sustentável e preservação destes ecossistemas;

(viii) Contribuir para o desenvolvimento sustentável, permitindo uma transferência mais eficiente do conhecimento científico para os moradores e gestores regionais e locais,

(ix) Capacitar docentes/pesquisadores com formação inter e multidisciplinar na área de ecologia com ênfase em ecossistemas costeiros da região norte;

(x) Desenvolver projetos e atividades de extensão junto às comunidades locais de modo a contribuir para conservação do meio ambiente e melhorar a qualidade de vida dos mesmos.